quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Arte de Organizar na mídia

Segue abaixo o vídeo de uma matéria que fiz para o programa Alô TVB - SBT Campinas:

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

No reino das panelas - Parte 4

 
Ágata
  • Bonitas e muito decorativas,a s panelas feitas com este material tem resistência quase absoluta contra a corrosão e a ação do tempo. Trata-se de uma base de ferro revestida com esmalte de pó de vidro que torna a superfície lisa, fácil de limpar usando-se a penas água e sabão.
  • Todo cuidado no manuseio é pouco. A ágata é bastante sensível a choques térmicos e impactos fortes. Recomenda-se não levá-la ao fogo vazia, nem por alguns segundos. Colocando-se um pouco de água ou óleo, você evita que o revestimento seja danificado.
  • Batidas na pia ou na torneira durante a lavagem são fatais. Elas fazem com que se soltem partes da camada de esmalte, descascando pontos onde os resíduos começam a acumular.
  •  

    Vapor

    • Esquecida num canto da cozinha até pouco tempo, a panela para cozimento a vapor ganhou espaço entre as adeptas da cozinha light. Feita de alumínio ou barro, funciona como um cuzcuzeiro. Na parte de baixo a água ferve e o vapor sobe, cozinhando os alimentos que ficam suspensos por uma espécie de peneira, com furos maiores.
    • A grande vantagem de cozinhar a vapor é conservar melhor as propriedades dos alimentos, especialmente as vitaminas presentes nos legumes. Além disso, dispensa o uso de óleo ou gordura.
     (Consultora: Profª Cristina Ortiz Furtuoso) 

    No reino das panelas - Parte 3

    Barro e Pedra-Sabão

    • São as panelas preferidas dos adeptos da cozinha naturalista. A justificativa para a escolha é de que demoram para cozer os alimentos, e assim conservam melhor suas propriedades. Além disso, este tipo de vasilha não solta resíduos nocivos. E tem a vantagem inegável de preparar uma comida super saborosa.
    • Há, porém, alguns inconvenientes. A vasilha de pedra é pesada demais e, por conservar intensamente o calor, não pode ser removida do fogão assim que o fogo é desligado. Além disso, o peso acaba estragando os frágeis fogões modernos.
    • Ambas pedem cuidados e podem quebrar com facilidade. As panelas novas devem ser curadas durante cinco dias com óleo quente, antes de serem colocadas em uso. As de barro precisam ser limpas com especial atenção, porque são mais porosas e podem reter restos de alimentos, criando focos de bactérias.


    Ferro

    • Assim como as amantes da cozinha italiana não dispensam uma boa panela de ferro para preparar polenta, também as exigentes cozinheiras mineiras sabem que o segredo dos quitutes saborosos está no uso desse utensílio. Durante o processo de cozimento, liberam o minério - motivo pelo qual muitos médicos aconselham que se prepares comida para os bebes em panelas de ferro. Mas é bom lembrar que esta quantidade de ferro liberada não é suficiente para suprir deficiências sérias do organismo.
    • Como as panelas de pedra, também devem ser curadas em óleo quente antes de serem usadas pela primeira vez, caso contrário a comida fica escura.
    • Para limpeza, mantenha longe a palha de aço, que facilita o surgimento da ferrugem. O ideal é caprichar com água quente, bucha e sabão.
    (Consultora: Profª Cristina Ortiz Furtuoso)

    quinta-feira, 21 de outubro de 2010

    8 erros na cozinha

    Como estou escrevendo sobre panelas, vou aproveitar e transcrever um e-mail que recebi e que mostra erros que cometemos na cozinha. Vamos lá:

    1° erro: Lavar as carnes  
    Primeiro, você perde nutrientes. A carne fica esbranquiçada. Segundo: a contaminação que existe vai aumentar, porque aumenta a quantidade de água e as bactérias vão penetrar mais ainda. A única carne que se lava é o peixe e só para tirar escamas e a barrigada.

    2° erro: Colocar detergente direto na esponja, o que leva ao exagero.
    O detergente nunca deve ser colocado direto na esponja. Vai ser muito difícil enxaguar todo esse detergente. O resto de detergente que fica junto com os alimentos pode no futuro dar um problema para a sua saúde. Para limpar sem exagero, você precisa apenas de oito (8) gotas de detergente em um litro de água.

    3° erro: Usar tábua de carne de madeira.
    Na tábua de madeira as bactérias ficam te aplaudindo! Tábua tem que ser de plástico ou vidro.

    4° erro: Sobre guardar comida quente na geladeira.
    Este é um dos um dos mitos mais difundidos entre as donas de casa... Não há erro em guardar comida quente na geladeira. O único problema é que vai aumentar um pouquinho o consumo de energia, mas não vai estragar a geladeira de modo algum. Porém ...

     
    5° erro: Guardar comida quente na geladeira com o recipiente tampado.
    O ar frio vai bater na tampa. Vai demorar muito para resfriar e as bactérias vão adorar! Então, coloque tudo destampado. Depois de duas horas você pode fechar.

     
    6° erro: Furar a lata de leite condensado e utilizá-la várias vezes. 
    As pessoas pegam a lata de leite condensado e fazem dois buraquinhos, um de cada lado.
    Sai leite condensado por um lado mas, pelo outro, entra uma porção de bactérias. Abra a lata inteira e passe o leite condensado para um recipiente que pode ser de plástico ou de vidro. Sirva sempre com uma colher; depois tampe e guarde na geladeira.

    7° erro: Ignorar as formigas.
    Quando se fala em doce, a gente não pode esquecer as formigas. Você provavelmente não se importaria se encontrasse uma formiguinha em cima do seu bolo, não é?
    Doutor Bactéria: E se fosse uma barata?
    Marina Scherb, de 12 anos: Aí eu não como.
    Doutor Bactéria: Se a gente pegar uma barata, matar essa barata, deixar no meio da cozinha, no dia seguinte, cadê a barata?
    Marina: Sumiu.
    Doutor Bactéria: Quem levou?
    Marina: As formigas...
    Doutor Bactéria: A mesma que estava em cima do bolo?
    Marina: É, né?...
    Doutor Bactéria: As formigas são consideradas até maiores agentes transmissores de bactérias do que a própria barata.
    Doce com formiga só pode ter um destino: a lata de lixo.

    8° erro: Soprar velinhas do bolo de aniversário.
    Este é um péssimo mau hábito. Testes comprovam que o bolo fica contaminado por bactérias de saliva. Essas bactérias produzem uma toxina que podem ocasionar aquelas intoxicações com 24 horas de vomito e mal-estar. Evite, também, deixar o bolo fora da geladeira.
     
    (Roberto Figueiredo é Biomédico e personifica o Dr. Bactéria)

    No reino das panelas - Parte 2

    Aço Inox

    • Um banquete para os olhos, as panelas de inox - uma associação de metais nobres como níquel, cromo, manganês e molibdênio - não enferrujam e são muito resistentes. Além disso, aos contrário das de alumínio, não liberam qualquer resíduo.
    • A maior deficiência deste produto é a má propagação do calor, que faz com que os alimentos grudem no fundo. Aí, a limpeza fica mais difícil. Muitos fabricantes resolveram o problema revestindo a base externa da panela com uma camada de alumínio ou cobre. Este fundo garante a distribuição do calor por igual, evitando que os alimentos se queimem. Prefira-as na hora da compra: os resultados na hora de cozinhar são muito melhores.
    • O manuseio não é complicado. As panelas de aço inox são resistentes e não muito pesadas. Duráveis, podem ir à máquina de lavar louça. Custam em geral seis vezes mais que as de alumínio.

    Vidro
    • Quando chegaram ao mercado nacional, as panelas de vidro provocaram o maior frenesi. As donas de casa correram aos magazines, querendo conhecer a maravilha que as libertaria do bombril. De fato, essas panelas são uma mão na roda. Podem ir ao microondas e à lava louça, não retêm odores nem soltam resíduos.
    • Uma das desvantagens - que é ao mesmo tempo uma vantagem - é a maior capacidade de reter o calor. Se a dona de casa não prestar atenção, acaba queimando os alimentos ao cozinhar. Por isso, é preciso aprender a lidar com elas.
    • O vidro utilizado em sua fabricação é enriquecido com sílica, que as torna resistentes a pequenos choques térmicos. No entanto, exigem cuidados no manuseio. Os cabos costuma esquentar, as vasilhas são pesadas e podem trincar se sofrerem uma mudança muito brusca de temperatura.

    Antiaderentes

    • As panelas com este tipo de revestimento surgiram na década de 60 e evolucionaram a cozinha. Além de facilitar a limpeza, permitem reduzir o uso de gordura para cozinhar. O responsável pela mágica é um plástico chamado politetrafluoretileno, que ficou conhecido como teflon.
    • Apesar de mágico, o teflon não é milagroso. Este revestimento, usado em utensílios de alumínio, solta-se com o atrito e forma poros, onde se acumulam resíduos de alimento. Para conservá-lo, deve-se mexer os alimentos com colheres de pau ou silicone, que não riscam.
    • Para limpá-las, use apenas bucha macia. Mesmo com todo cuidado, estas panelas super práticas não costumam ter vida muito longa.

    (Consultoria:  Profª. Cristina Ortiz Furtuoso)

    quarta-feira, 20 de outubro de 2010

    No reino das panelas - Parte 1

    Vou começar uma série sobre Panelas: os tipos que existem no mercado, seus cuidados e utilização. Acompanhe!


    Cada quitute tem a panela que merece. Saiba quais as vantagens e desvantagens de cada tipo, e aprenda a conservá-las corretamente por mais tempo.


    Elas fazem parte da vida doméstica tanto quanto o fogão e a geladeira. Um dos primeiros itens a entrar na lista de qualquer enxoval, as panelas, duram praticamente a vida inteira. É só saber como escolher peças de qualidade e com funções bem definidas. Comprar panelas, apesar de parecer uma operação banal, exige alguns cuidados e até reflexões sobre os hábitos alimentares. Afinal, não existe uma vasilha ideal. As melhores são aquelas que distribuem o calor por igual, com o máximo aproveitamento do combustível, sem soltar partículas prejudiciais à saúde ou reter resíduos de alimentos em seu interior. Outros requisitos importantes são durabilidade e resistência. Embora a indústria tenha lançado mão de novas tecnologias, ainda não conseguiu produzir uma panela que reúna todas essas características. Para facilitar a vida na cozinha, o ideal é ter tipos variados de utensílios, e usá-los de acordo com cada alimento a ser preparado. O mercado oferece muitas opções.


    Alumínio

    • Depois da Segunda Guerra Mundial, as panelas de alumínio reinaram absolutas nas cozinhas brasileiras. Esse metal é bom condutor de calor, leve, fácil de limpar e barato.
    • Para escolhê-las bem, preste atenção a algumas características. A matéria-prima deve ter elevado grau de pureza (em torno de 99%), e a laminação deve ser cuidados. Do contrário, criam-se bolhas internas que, com o atrito e a ação do fogo, podem formar poros e liberar resíduos.
    • Um bom conjunto de alumínio, tratado com atenção e evitando-se quedas, tem vida útil de aproximadamente quinze anos. Com o uso, podem surgir falhas nas paredes internas. Nelas, os resíduos acabam se acumulando e oxidando, e podem se soltar na próxima vez que a panela for ao fogo.
    • Não há o que temer quanto à saúde. Em geral, os médicos concordam que a ingestão de alumínio, liberado em pequenas quantidades durante o cozimento, não é prejudicial.    

    (Consultoria:  Profª. Cristina Ortiz Furtuoso)

        Em ritmo de mudança - Parte 3


        Em boa companhia

        • Escolher uma empresa confiável é meio caminho andado. Faça vários orçamentos e procure sempre ter alguma referência da empresa escolhida antes de decidir-se.
        • Em geral, um funcionário da empresa vai até a sua casa fazer o orçamento, verificando a quantidade de móveis e objetos e as condições de remoção da mudança - colocar um piano de cauda num apartamento é bastante trabalhoso. Certifique-se de que esse serviço é gratuito.
        • Além dos objetos em si, a distância entre os imóveis influi no preço. No mesmo município não há muita diferença. Mudanças intermunicipais pagam uma taxa extra de quilometragem, e entre estados diferentes as taxas referentes ao imposto sobre circulação de mercadorias. Caso a mudança vá acontecer entre dois países, paga-se o transporte de navio e as taxas aduaneiras.
        •  
          Para informações de mudança na região de Campinas consulte a empresa Mudanças Carlinhos.

          quinta-feira, 16 de setembro de 2010

          Indicação de leitura

          Post super interessante sobre como como a organização harmoniza nossa vida:


          Boa leitura!

          terça-feira, 14 de setembro de 2010

          Em ritmo de mudança - Parte 2



          O momento certo

          • É preciso atenção até mesmo no momento de escolher o melhor dia para mudar. Verifique com os vizinhos de rua ou o zelador do prédio se não há feira livre na data marcada. Observe se há um bom lugar para estacionar o caminhão e, se preciso, peça aos vizinhos e moradores para deixarem o espaço vago para você.
          • Se for mudar para um prédio, verifique se não há dias e horários estipulados pelo regulamento interno para o sobe-desce de móveis. Veja também se não há outras pessoas de mudança no mesmo dia.
          • Faça uma planta da distribuição dos móveis nos cômodos. Assim, você deixa tudo em ordem na hora de descarregar e evita a dor nas costas de ter que arrastar o sofá.
          • Coloque em cada cômodo as caixas que contem os objetos correspondentes a ele. Consulte aquela listinha detalhada, para poupar o vai-e-vem de caixas pesadas.

          Curso de Etiqueta Social

          Aproveitem a aoportunidade para aprender ou reciclar os conhecimentos:

          segunda-feira, 13 de setembro de 2010

          Em ritmo de mudança - Parte 1

          Vou começar uma série sobre Mudanças Residenciais. Acompanhe e entre em contato para que eu possa ajudar em sua mudança.

          Não faça de sua vida um inferno na hora de mudar. Veja como você pode se programar, organizando tudo para entrar na casa nova com o pé direito.

          Você vai mudar de casa e ainda não decidiu se está contente ou triste. Está certo que uma vida nova vai começar com a mudança, mas a trabalheira que você vai ter antes de se instalar... O problema é como fazer chegar as coisas em ordem no novo endereço, depois, acomodar nos devidos lugares. Só em pensar naquele armário de guardados que você não abre há anos, fica arrepiada.
          As empresas especializadas em mudança estão aí para isso mas nem sempre embalam e desembalam com o devido cuidado e não colocam as coisas no lugar correto. A dona da casa deve saber tudo o que tem, até o último alfinete, para não se aborrecer depois. A dica é organizar-se para mudar sem perder tempo ou dinheiro.


          Plano de Ação

          • A primeira providência é deixar a casa nova brilhando. Faça uma faxina minuciosa, do teto ao chão, com especial carinho nos armários de roupa, que devem estar livres de traças. Depois, fica fácil arrumar cada coisa em seu lugar.
          • Você pode começar o mutirão 15 dias antes do desmanche total. Reserve um cômodo para colocar as caixas de maneira que não atrapalhem.
          • Faça um levantamento do que você menos usa no dia-a-dia. Vá classificando tudo - roupa de cama, louça, livros, cds, dvds, etc. Coloque nas primeiras caixas todas as peças que estão quase "aposentadas" - roupas pesadas de inverno, louça fina, toalhas sobressalentes. Não misture as coisas, o que pode criar transtorno na hora de desencaixotar.
          • Compre papel branco ou de embrulho para embalar. Os jornais sujam as roupas e louça, e devem servir apenas para forrar as caixas onde serão colocadas as peças frágeis. Para vidros e cristais, use o plástico bolha.
          • Não vá inventar de fazer a compra do mês na véspera da mudança. Se a geladeira e a despensa estiverem vazias, tanto melhor. Como a geladeira e o freezer serão desligados, será menos trabalhoso se você tiver poucos produtos perecíveis para acomodar.
          • Providencie caixas de papelão de diversos tamanhos. Em geral, as próprias empresas de mudança as fornecem e você se compromete a devolvê-las em alguns dias. As empresas tem também caixas feitas de grades de ferro desmontáveis, próprias para objetos pesados, cedidas enquanto durar a mudança.
          • Em cada caixa, cole por fora uma relação de tudo o que está contido nela. Fica mais fácil deixar a casa habitável em pouco tempo.

          SUPERDICA: aproveite a mudança para descartar tudo o que estiver quebrado, com peças faltando e objetos e roupas que não usa mais.

          terça-feira, 17 de agosto de 2010

          Hora de Renovar

          Segue abaixo uma matéria, na qual participei, sobre enxoval para a 11° edição da Revista Donna, Editora Símbolo:


          Compra do enxoval
          Na hora de comprar o enxoval é necessário prestar atenção se o produto é de qualidade e durável. Às vezes o barato sai caro então vale a pena investir um pouco mais nessa compra. 

          É importante
          - comprar peças que combinem com o estilo da casa;
          - conhecer as lojas onde o produto está sendo adquirido para que, se necessário, trocas possam ser feitas sem problemas. Dê preferência para lojas com bastante variedade de itens e sempre verifique se o produto que está adquirindo é o mesmo que está estampado na embalagem;
          - ter em mãos a dimensão das camas e mesas para não errar na medida. No caso de roupa de cama o ideal é medir o colchão no comprimento, largura e altura;
          - verificar as instruções na embalagem e comprar sempre produtos com materiais que facilitem o dia-a-dia. Por exemplo, toalhas de mesa em linho bordadas são maravilhosas, mas servem para ocasiões especiais, pois são mais difíceis de lavar e passar. Prefira as peças em algodão que podem ser lavadas facilmente em casa.
          - tomar cuidado com peças muito coloridas e com cores muito vibrantes: desbotam e cansam facilmente. As cores claras e neutras e estampas suaves são mais charmosos, duráveis e combinam com qualquer decoração;
          - coordenar jogos de cama e banho: visualmente fica sempre mais bonita a composição dos jogos criando um ambiente harmonioso;
          - não se esquecer de comprar enxoval para os hóspedes.
          Dica: adquira capas protetoras para colchão e travesseiros; elas protegem e conservam os materiais.
           
          Para manter o enxoval
          - verificar as instruções da embalagem e orientar a pessoa que vai lavar e passar o material. Na maioria das vezes as peças estragam na lavagem e na passadoria. Verificar estampas, cores, tipo de tecido e o que recomenda o fabricante.
          - normalmente a troca de roupa de cama e banho é feita 1 vez por semana salvo aconteça algum acidente e precisem ser trocadas. Já as toalhas de mesa ou jogos americanos devem ser observadas diariamente, pois são mais fáceis de sujar por causa das comidas;
          - cobertores, mantas e edredons devem ser lavados em lavanderia, pois são grandes e ficam pesados quando molhados além de receberem um tratamento especial nos lugares especializados.
          Dica: ao lavar roupas de banho substitua o amaciante por vinagre branco, as toalhas ficam super macias. Para ficarem mais limpas, use na água de enxágüe uma colher de bicarbonato.

          Quando é preciso trocar o enxoval
          - aqui vale o bom senso, pois não existe prazo para troca. Vai depender da qualidade do material que foi comprado e de como está sendo lavado e cuidado.
          Dica: se qualquer peça do enxoval estiver rasgada ou descosturada, verificar se existe conserto e se fica bom. Caso contrário está na hora de descartar. Aí vale doar o que está bom e descartar o que não tem conserto. Evite deixar peças avulsas, sem o jogo completo para ser usado, pois é desagradável usar toalhas ou jogos de cama com peças de jogos diferentes.

          Como armazenar o enxoval
          - o ideal é ter um espaço próprio para roupas de cama e banho. Armários organizados facilitam o dia-a-dia e são bonitos de se ver;
          - se houver roupeiro ou armários vazios sempre manter todos os jogos no mesmo lugar. Se não houver, as toalhas de banho podem ser guardadas em armários do banheiro e as roupas de cama no guarda roupa;
          - toalhas de mesa e jogos americanos devem ser guardadas na cozinha ou despensa em gavetas;
          - a maneira mais fácil de evitar a mistura de jogos de cama e de banho é dobrar as peças do mesmo conjunto e formar um pacote;
          - dependendo da região que você mora cobertores, edredons e mantas são menos usados e podem ser guardados na parte superior dos armários e retirados quando necessários.
          Dica 1: toalhas de lavabo podem ser colocadas enroladas em cestas sobre a pia do lavado. Existem vários modelos de cestas no mercado de diferentes materiais e a decoração fica ótima!
          Dica 2: guardar cobertores, edredons e mantas em capas para evitar que as peças sujem enquanto estiverem guardadas. Existem no mercado capas de plástico e TNT que são ideais para esse armazenamento, pois o plástico protege enquanto o TNT deixa a roupa respirar. Essas embalagens são facilmente encontradas em lojas de utilidades domésticas e são bem baratas.

          Lista de enxoval básico
          Quarto
          3 jogos de lençol casal
          2 lençóis de casal avulsos (com elástico)
          2 travesseiros
          2 edredons casal
          1 colcha de piquet casal
          1 colcha decorativa
          1 cobertor casal
          1 protetor de colchão casal
          2 protetores de travesseiro

          Quarto de Hóspedes (1 cama de solteiro)
          2 jogos de lençol solteiro
          1 edredom solteiro
          1 travesseiro
          1 protetor de colchão solteiro
          1 protetor de travesseiro

          Banheiro
          3 jogos de banho 5 peças
          2 toalhas de banho avulsas
          2 toalhas de rosto avulsas
          2 roupões
          4 toalhas de lavabo
          1 tapete para banheiro

          Mesa
          6 panos de prato
          2 aventais
          2 toalhas de mão
          3 toalhas de mesa para uso diário
          4 jogos americanos
          1 toalha de mesa fina
          2 toalhas de bandeja
          2 luvas térmicas

          Dica: compre inicialmente o necessário e lembres-se que você terá a vida toda para acrescentar peças e renovar o enxoval.

          Leia a matéria aqui na Revista Donna Digital 

          segunda-feira, 12 de julho de 2010

          Como organizar os brinquedos

          Segue abaixo uma matéria, na qual participei, sobre organização de brinquedos para a 10ª edição da Revista Donna, Editora Símbolo:
           
          O que pode ser aproveitado dos brinquedos das crianças?
          Tudo começa na hora de adquirir um brinquedo. O ideal é verificar para que faixa etária o brinquedo é destinado. Assim, corre-se menos risco de descarte fácil e rápido. Quanto mais adequado à idade da criança, mais útil e prazeroso ele será. Buscar sempre brinquedos que usem a lógica e raciocínio e evitar os que deixam a crianças ociosas. Evitar também brinquedos que estimulem a violência como armas, espadas, facas, etc.
            
          Como selecionar o que pode ser aproveitado? O que levar em conta?
          - os brinquedos que podem ser aproveitados são brinquedos inteiros. Jogos com todas as peças são legais manter guardados, pois a brincadeira fica completa;
          - separar brinquedos quebrados e descartar. Normalmente as crianças não dão importância para brinquedos quebrados ou com falta de peças, os brinquedos tornam-se desinteressantes e descartáveis;
          - observar o crescimento da criança: aqui vale a regra de adequar os brinquedos à faixa etária. Se o bebê cresceu está na hora de trocar por brinquedos mais estimulantes.

          Como reutilizá-los? Quais são as dicas para encontrar uma nova utilização para esses brinquedos? Dar exemplos de brinquedos e sua nova utilização? 
          - se os brinquedos passaram da faixa etária ou não interessa mais, o mais legal é ensinar as crianças a doar para outras crianças. Muitas entidades vão agradecer e sua consciência também! Além de ensinar os pequenos a não se apegar ao que já não interessa mais;
          - se existe mais de uma criança na mesma casa os brinquedos podem passar para o irmão menor e o irmão maior pode ensiná-lo como brincar.
          - procure em sua cidade os “hospitais de brinquedos”: algumas regiões têm lojas especializadas em conserto de brinquedos e bonecas.

           Como organizar a casa brincando?
          -crie jogos e prêmios para estimular a independência da criança. Por exemplo: adquira baús para organização dos brinquedos e brinque de caça ao tesouro: todo o brinquedo que estiver no chão deve ser guardado no baú. E os prêmios podem ser os que se utilizam nos realitys shows: um quadro com adesivos com “carinha feliz” para brinquedos guardados e “carinha triste” para brinquedos espalhados pelo chão;
          - utilizar caixas coloridas para cada jogo ou azul para meninos e rosa para meninas: etiquetar cada embalagem para que a criança saiba o que tem dentro. Se ela ainda não sabe ler, uma dica é colar uma figurinha ou foto do brinquedo facilitando a visualização.

          Dica 1: use embalagens descartáveis para armazenar brinquedos pequenos. Por exemplo: potes de sorvete são ótimos para guardar brinquedos, só é necessário etiquetar.

          Dica 2: Em datas como aniversário, natal e dia das crianças, incentive as crianças a fazer o descarte. Se a criança ganhou 3 presentes novos, deve escolher 3 itens para doação ou descarte, dando a oportunidade de que outra criança receba o brinquedo como doação.
          Leia a matéria aqui na Revista Donna Digital

          sexta-feira, 12 de março de 2010

          Personal Organizer na Mídia

          Olá pessoal!

          Segue abaixo uma matéria que fiz para o Jornal Hoje - TV Globo dando algumas dicas super básicas para manter a organização. O programa foi ao ar hoje, dia 12/03/2010.
          Na prática o trabalho é bem mais elaborado mas dá para ter uma noção de como funciona.



          Acesse: Globo.com - Jornal Hoje

          quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

          Controle de Qualidade em sua residência!!

          Quem vive no mundo empresarial já conhece a tão famosa metodologia 5S, certo? Que tal implantar essa metodologia em sua residência? Afinal, de menor porte, nossa casa também é uma empresa e precisa ser bem organizada.

          O 5S ou House keeping é um conjunto de técnicas desenvolvidas no Japão e utilizadas inicialmente pelas donas-de-casa japonesas para envolver todos os membros da família na administração e organização do lar.  

          É composta de cinco princípios ou sensos, cujas palavras transliteradas para o nosso idioma, iniciam-se com a letra "S". O 5S pode ser aplicado em qualquer ambiente, inclusive espaços ao ar livre, residências, pequenos ambientes e até na organização de apenas um armário ou bolsa.

          Os propósitos da metodologia 5S são de melhorar a eficiência através da destinação adequada de materiais, especialmente os desnecessários, organização, limpeza e identificação de materiais e espaços e a manutenção e melhoria do próprio 5S.

          Os 5S significam:

          Seiri - Senso de organização, utilização, liberação da área. Refere-se à prática de verificar todos os materiais e manter somente os itens essenciais para o trabalho que está sendo realizado. Tudo o mais é guardado ou descartado. Este processo conduz a uma diminuição dos obstáculos à produtividade do trabalho.
          Seiton - Senso de ordem, arrumação. Enfoca a necessidade de um espaço organizado. A organização, neste sentido, refere-se à disposição dos objetos em uma ordem que permita o fluxo do trabalho. O processo deve ser feito de forma a eliminar os movimentos desnecessários.
          Seiso - Senso de limpeza. Designa a necessidade de manter o mais limpo possível o espaço de trabalho. Ao fim de cada dia, o ambiente é limpo e tudo é recolocado em seus lugares, tornando fácil saber o que vai aonde, e saber onde está aquilo o que é essencial. O foco deste procedimento é lembrar que a limpeza deve ser parte do trabalho diário, e não uma mera atividade ocasional quando os objetos estão muito desordenados.
          Seiketsu - Senso de padronização, asseio, saúde. Refere-se à padronização das práticas de trabalho, como manter os objetos similares em locais similares. Este procedimento induz a uma prática de trabalho e a um layout padronizado e práticas favoráveis a saúde física, mental e ambiental.
          Shitsuke - Senso de disciplina, autodisciplina. Refere-se à manutenção e revisão dos padrões. Uma vez que os 4 Ss anteriores tenham sido estabelecidos, transformam-se numa nova maneira de trabalhar, não permitindo um regresso às antigas práticas. Entretanto, quando surge uma nova melhoria, ou uma nova ferramenta de trabalho, ou a decisão de implantação de novas práticas, pode ser aconselhável a revisão dos quatro princípios anteriores.

          Os principais benefícios da metodologia 5S são:
          1. Maior produtividade pela redução da perda de tempo procurando por objetos. Só ficam no ambiente os objetos necessários e ao alcance da mão.
          2. Redução de despesas e melhor aproveitamento de materiais. O acúmulo excessivo de materiais tende à degeneração.
          3. Melhoria da qualidade de produtos e serviços
          4. Menos riscos de acidentes.
          5. Maior satisfação das pessoas com o resultado.

          (fonte: sites Wikipédia, a enciclopédia livre , Esalq e Administradores)

          Entre em contato e saiba como implantar essa metodologia em sua residência.